sábado, 5 de dezembro de 2015

Profusão

Águas nervosas e perfumadas
Temperadas com você aninhada em meus braços

No amanhecer pelo vidro fumê
Seus pés sobre os meus
Sua mão percorrendo meu corpo

Na imensidão do sentir
Na profusão da paz branca e branda e cadenciada de um besouro branco pousado em seu  nariz sonolento

Nenhum comentário: