sábado, 12 de setembro de 2015

Dois meios de você

Ando pelo meio do caminho
No Meio da rua equilibrado no meio fio

Perdido em meias verdades e
meias palavras, nomeio versos desonestos, errados, cretinos fugitivos

Não sou homem pelo meio
Não sou meio de ninguém
Não quero meio sentimento
Quero dois meios de você

Tanto amor em meio a flores
Tantos espinhos em meia hora
Semeio minha vida em cantos torto sementes  dos acertos de te encontrar

Dos meios erros ao te beijar
Ledos enganos a me torturar

Não sou homem pelo meio
Não sou meio de ninguém
Não quero meio sentimento
Eu quero dois meios de você

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Colorir


Minhas mãos e mente respondem ao seu estímulo

Meu corpo vibra desperto e desesperado enquanto procuro seus olhos noite a dentro

Tento alcançar, confortar, confrontar, contornar e colorir seus medos, meus medos e expectativas

Meus anseios de cores rápidas, entregue em tintas pálidas e misturas vibrantes de olhares apaixonados que se perdem noite a dentro com o sono,

Sonhos se apagam desbotados pelo amanhecer

Que se escondem tingidos de medo e insegurança

Que então pintam, esperançosos e escondidos, um novo dia