quinta-feira, 16 de julho de 2015

Na imensidão de seu olhar

Saudade estranha saudade, sem nem bem te conhecer

Sem bem saber nem ter teu bem querer

És Suave como um furacão e intenso como Briza de verão

Me deixe perder na imensidão do teu olhar

Me odeie me amar sem pudor sem pensar

E nesta confusão de pernas braços e beijos

Perco minha sanidade toda em você

Sinto seu cheiro mesmo milhas distante

Te mostro meus olhos e pego suas mãos entre as minhas

Te desconcerto um sorriso que

Me arremessa pra dentro deste turbilhão

Pra dentro de você.