terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Logo vai amanhecer



Amores perfeitos mesmo com defeitos
Transbordam tesão

Enquanto te olho
Percorrendo com os dedos
seus suaves contornos
Me perco dançando no escuro
Na clara certeza que pertences a mim

Ponho sua  mão em mim
Arranhando com a barba mal feita seu corpo que arfa em silêncio
Na cama ao chão da cozinha
Das mãos a língua minha

Observo calmo seus olhos fecharem
As pernas se enrolarem, braços se perderem e sua boca, entre aberta pausar

Relaxo os corpos sua cabeça em meu ombro ofegando até em sono cair...

Pois logo vai amanhecer

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Sal, vento e tempestade

Mando embora pelas ondas o que me pesa

Espero passar no escuro molhado e salgado o gelado que me aflige o peito, o caroço que me tranca a garganta

As ondas batem no meu peito

Inundam as minhas costas
Salgam a boca

Gelam e limpam o meu corpo

Deixo o vento bater no rosto e
Procuro aonde está você dentro de mim

Tem gosto de chocolate, brilha como metal, arde como paixão e queima como desejo...como ciúme

Meus pensamentos flutuam a deriva, se afastam do farol e se encontram em meu ser

No meu oceano desconhecido
atingido pela tempestade que leva seu nome

sábado, 5 de dezembro de 2015

Profusão

Águas nervosas e perfumadas
Temperadas com você aninhada em meus braços

No amanhecer pelo vidro fumê
Seus pés sobre os meus
Sua mão percorrendo meu corpo

Na imensidão do sentir
Na profusão da paz branca e branda e cadenciada de um besouro branco pousado em seu  nariz sonolento

sábado, 12 de setembro de 2015

Dois meios de você

Ando pelo meio do caminho
No Meio da rua equilibrado no meio fio

Perdido em meias verdades e
meias palavras, nomeio versos desonestos, errados, cretinos fugitivos

Não sou homem pelo meio
Não sou meio de ninguém
Não quero meio sentimento
Quero dois meios de você

Tanto amor em meio a flores
Tantos espinhos em meia hora
Semeio minha vida em cantos torto sementes  dos acertos de te encontrar

Dos meios erros ao te beijar
Ledos enganos a me torturar

Não sou homem pelo meio
Não sou meio de ninguém
Não quero meio sentimento
Eu quero dois meios de você

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Colorir


Minhas mãos e mente respondem ao seu estímulo

Meu corpo vibra desperto e desesperado enquanto procuro seus olhos noite a dentro

Tento alcançar, confortar, confrontar, contornar e colorir seus medos, meus medos e expectativas

Meus anseios de cores rápidas, entregue em tintas pálidas e misturas vibrantes de olhares apaixonados que se perdem noite a dentro com o sono,

Sonhos se apagam desbotados pelo amanhecer

Que se escondem tingidos de medo e insegurança

Que então pintam, esperançosos e escondidos, um novo dia


sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Lembre-se

Tento traduzir meu sentimento em canção.

Quero enxergar além desta oração,
composta de versos curtos, textos soltos e palavras líquidas.

De Líquidos que se trocam, beijos que se sopram e olhos que se fecham.

Então me abraça, cuida de mim, faça de mim sempre o que sou, não me permita fugir nem parar de sentir que é para você, e só para você, que eu vim.

Que é  de você que eu vou cuidar, mimar e amar.

Não me deixa esquecer que é com você que quero construir, constituir e sair por aí a viver....a sorrir.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

O que queremos

Por trás dos meus olhos o teu medo esconde o meu desespero

A insegurança conturba a paz das águas e o céu tão azul que estendemos com paixão sobre os lençóis

Somos crianças brincando de ser  adultos, querendo afeto, compreensão e atenção

Somos adultos ansiando sermos adolescentes

Somos idosos procurando sem fim a nós mesmos querendo enfim a paz

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Na imensidão de seu olhar

Saudade estranha saudade, sem nem bem te conhecer

Sem bem saber nem ter teu bem querer

És Suave como um furacão e intenso como Briza de verão

Me deixe perder na imensidão do teu olhar

Me odeie me amar sem pudor sem pensar

E nesta confusão de pernas braços e beijos

Perco minha sanidade toda em você

Sinto seu cheiro mesmo milhas distante

Te mostro meus olhos e pego suas mãos entre as minhas

Te desconcerto um sorriso que

Me arremessa pra dentro deste turbilhão

Pra dentro de você.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Sentido do frio

Quando tudo parece mais suave dentro de mim...chega o inverno

sexta-feira, 27 de março de 2015

Verso de saudade

Te abraço e implico até rolares no chão

Acho engraçado o jeito que me olha pela manhã

Te esconde pela noite em caixas malas e escadas

Perdoe meu amigo mas tenho que partir


Rafael Ilhescas



segunda-feira, 9 de março de 2015

Num Instante Não hÁ



Conforme prometido, vídeo da música. Grávei apenas para não esquecer a melodia, devo gravar melhor em seguida.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Num Instante Não hÁ

Eu já perdi as contas
E as pedras que deixei pelo caminho

Eu já mudei a ordem e os acordes
Que escrevi nossa canção

Errei o tempo, aceitei e cobrei
entregas e andamentos, compassos compostos
complexos, acidentados, sincopados e atrapalhados
em Mi bemol

E agora vai e leva contigo essa canção
Sabendo que estas no meu coração
Guardada como esta melodia

Eu vou seguir o caminho do próprio coração
Deixando pra outra ocasião a troca de tom desta canção

Rafael Ilhescas

Nota do autor:
Assim que tiver condições faço a música, gravo e posto.