quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Diário de um Clérigo Lincantropo # 1

Hoje foi a última noite de lua cheia. Como todas as outras noites, acordei no meio da floresta sem roupas e com restos de animais mortos em minha volta. Só me lembro da sensação de liberdade causada pelo vento em minhas orelhas e de estar com fome. Pelo menos tive a ideia de amarrar uma muda de roupa em minha perna antes do anoitecer, assim não preciso andar completamente nu pela floresta.

Por sorte não amanheci muito longe do acampamento. Ao voltar para o grupo me deparo com um cena, digamos, bizarra. Um ser horrendo com asas de dragão, que por algum motivo se uniu ao grupo, negociando com goblins. Diga-se de passagem, este grupo é uma bagunça, constantemente me pergunto o que estou fazendo aqui.

Um arqueiro que acha rastros nas folhas, dois seres grotescos que se dizem meio dragões, um anão cinza que fala com as pedras e um dragão filhote. Não sei que diabos o maldito anão tem na cabeça de achar que vai adestrar o dragão. Por mim tinha deixado ele na caverna e ia procurar Solon, O rei dos lincântropos, Pelo menos o Anão parece gostar de mim, afinal, fomos os únicos sobreviventes do antigo grupo.

Ok. Pegamos a estrada, se entendi bem vamos até a floresta. Nossa estou acabado, vou ver se arranjo um lugar na charrete para dormir. Talvez no meio da floresta encontre pistas de Solon.

Explicação sobre "Diário de um Clérigo Lincantropo".
Para quem não sabe, eu jogo RPG com alguns amigos. Estou jogando uma aventura de D&D, aonde meu personagem é um Clérigo Lobisomem. Resolvi ir postando as indagações do personagem, como se fosse um diário escrito por este.



Nenhum comentário: