terça-feira, 20 de novembro de 2012

Homenagem de Casamento

Semana passada fui padrinho de casamento de um grande amigo meu. Obviamente, eu não podia deixar passar esta ocasião em branco. Me juntei com outros 2 amigos que também eram padrinhos e preparamos este texto.


Caros amigos aqui presentes:
Estamos aqui reunidos, nesta solene ocasião, para presenciar de perto a execução de João
Pedro Gaelzer Coelho Silva. Que devido a seus atos será sentenciado a pena máxima eterna...
o Casamento.

Como todos vocês já devem saber, nós somos cúmplices, testemunhas de que o próprio
João quis assim. Nós bem que tentamos fazer ele trocar de idéia, advertimos que este tipo
de atitude traria conseqüências irreversíveis para sua saúde e para condição financeira...mas
não teve jeito.

Bom, já que a passagem é só de ida, e gostamos de ver o lado bom das coisas. Vamos citar o

que inclui pacote completo e as vantagens deste maravilhoso enlace matrimonial:

1 – Perda de peso: A partir da próxima semana, acabaram os xis com os amigos. Ao invés
disso, sua querida esposa irá preparar uma saudável salada de alface rúcula e rabanete para
o jantar

2 - Economia: Não vai mais se preocupar em comprar jogos de luta e dvds de super heróis. Suas

noites serão banhadas pela novela das 8 e a mini série do momento.
Tudo isso, após a salada citada no item 1

3 – Intimidade: Teu nível de flatulência ira aumentar...e os da Ane também. São os efeitos do
rabanete e da alimentação saudável a noite somados a tensão gerada pelos emocionantes
capítulos da novela preferida do casal.

4 – Ganho de massa muscular: Como manda a cartilha do bom marido, terás que pregar, cerrar,
arrastar os móveis, trocar o butijão de gás e , é claro, pegar a Ane no colo quando uma barata ou
qualquer ameaça aracnídea aparecer

João, sentimos em te informar que você esta fora da luta pela tão sonhada armadura de
bronze. Porém, devido a seus atos de bravura e honra, serás contemplado com a armadura
dourada Deus. Esta só é concedida ao verdadeiro homem, aquele que serve de exemplo pela
sua índole e fé inabalável.

Tu és um exemplo pra nós, que depois de você todos nós possamos ter a coragem e o amor
necessário para dar este passo na vida.

Desejamos a vocês toda felicidade do mundo.

Dos Padrinhos:
Guilherme Saling
Rafael Ilhescas
Thales Soares

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A/C Mercado de trabalho

Querido Mercado de trabalho:
Caso ainda não me conheça, gostaria de me apresentar. Meu nome é Rafael, nasci em 20 de julho de 1983, sou do signo de câncer com lua em sagitário e ascendente em capricórnio. Minha mãe é bibliotecária, meu pai engenheiro e tenho um irmão 1 ano e 3 meses mais novo que eu. Gostaria, caso haja algum interesse, de te contar um pouco sobre minhas aptidões.

Sou formado em Publicidade e Propaganda e pós graduação em Imagem Publicitária. Fiz cursos de extensão em produção gráfica para designers, editoração e fotografia. Sei tocar violão, cantar, sou faixa preta de Taekwondo, nível 2 de Reiki e tenho cursos na área de gastronomia.

Não tenho o hábito de destratar ninguém, sou um cara bem humorado e leal que procura sempre tentar achar soluções plausíveis para os problemas. Tenho imenso prazer em ajudar os outros,  o que me traz alguns problemas de vez em quando pois acabo pensando pouco no que eu realmente quero.

Por este motivo te escrevo esta carta. Caro mercado, já faz algum tempo que corro em suas praças, tentando ser reconhecido e devidamente valorizado pelo meu trabalho. Porém o que eu mais vejo são pessoa de desqualificadas, picaretas e, muitas vezes de má índole, tendo muito mais êxito do que eu e minha pequena empresa.

Por este motivo te faço o seguintes questionamentos: O que falta para eu ser descoberto? Aonde esta o espaço para pessoas honestas?

att
Rafael do Canto Ilhescas

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Pomada


"Só quem já teve o cú ardendo sabe o que é isso!"

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

As musicas mais apaixonadas #0000 (me perdi na contagem)


Obsessão muitas vezes faz parte da paixão...

Monomania

Clarice Falcão

Já te fiz muita canção
São quatro, ou cinco, ou seis, ou mais
Eu sei demais
Que tá demais
Eu chego com um violão
Você só tá querendo paz
Você desvia pra cozinha
E eu vou cantando atrás
Hoje eu falei
Pra mim
Jurei até
Que essa não seria pra você
E agora é
Hoje eu falei
Pra mim
Jurei até
Que essa não seria pra você
Se juntar cada verso meu
E comparar
Vai dar pra ver
Tem mais você que nota dó
Eu vou ter que me controlar
Se um dia eu quero enriquecer
Quem vai comprar esse cd
Sobre uma pessoa só?
Hoje eu falei
Pra mim
Jurei até
Que essa não seria pra você
E agora é
Hoje eu falei
Pra mim
Jurei até
Que essa não seria pra você
E agora é

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Opiniões

As vezes me pergunto se todas as pessoas são dotadas de, pelo menos, um pouco de compreensão. E eu falo de "pelo menos um pouco" porque ninguém é obrigado a compreender e aceitar tudo o que se passa com o outro.

Acredito que todos sejamos dotados da capacidade de aceitação, uns um pouco mais, e outros menos, mas todos somos. Acho que o que ocorre é uma confusão de valores. Inevitavelmente, colocamos nossos filtros em cima das situações alheias, o que nos permite ter diferentes opiniões sobre um mesmo tema.

Enfim, ter diferentes opiniões, sustentar e discutir diferentes pontos de vista é completamente saudável. Porém, não é incomum que este tipo situação venha a se tornar uma briga e que cada parte queira convencer o outro de que está certo, o que gera um desafeto e ambas as partes podem se sentir melindradas...e é ai que pecamos.

Se alguém da abertura para ouvir um ponto de vista diferente, não significa que esta pessoa concorda ou quer ser convencida e sim que ela quer ouvir e ser ouvida, para que esta conversa venha a ser produtiva para ambos.

Mesmo que diferentes ideias e decisões magoem, acredito que, quando bem embasadas, podemos muito bem respeitar as diferentes opiniões e decisões, sem  agressões e mantendo uma boa relação.

Afinal de contas todos somos diferentes e merecemos todos o mesmo respeito.

Ps. Comecei a escrever este texto no começo do ano. Não consegui terminá-lo naquela época. De lá para cá vivenciei com mais clareza o sentimento que tentei descrever, o que tornou tudo mais claro no meu caminho.


Vida


quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Caminho



A algum tempo, não sei dizer bem quando nem a quanto tempo, só sei que já faz um tempo, que comecei a andar por este caminho. Não tenho bem certeza de aonde vai dar e nem se vai dar em algum lugar porém,
sigo a estrada em direção ao que acredito.

Assim como todo caminho, neste eu também encontro obstáculos, conheço pessoas, dou rizada, atravesso montanhas, riachos, cachoeiras, ruas, estradas, entradas, crenças, e-mails, tatames, choro, pulo, dou mais rizada ainda, chuto, grito, danço...enfim...sigo o baile.

Não importa o que aconteça eu sigo erguendo a cabeça e mantendo o caminho, pois um homem que não tem algo a seguir é homem perdido.


domingo, 27 de maio de 2012

London, Life, London #1

Ao se programar uma viagem, se gera uma série de expectativas, para esta não foi diferente. Durante um ano de preparação, surgiram em minha mente uma série de possibilidades, ansiedades e expectativas. Enfim, depois de uma semana em Londres, já posso expressar meus sentimentos sobre esta nova aventura.

Em primeiro lugar, Londres é fantástico. Cada construção conta uma história, o visual clássico das fachadas se completa com modernidade e tecnologia. Por menor que seja uma loja, ela reserva surpresas e belezas em cada canto. O metro, mesmo com seus problemas, é muito mais eficiente do que qualquer coisa que temos no Brasil. O sentimento ao ver pela 1ª vez a London Eye é indescritivel

Devo confessar que fiquei impressionando com a variedade de culturas residentes da cidade. O que menos escuto nas ruas é gente falando inglês. Enfim, pelo menos tenho praticado diariamente nas aulas e na casa da família em que estou. Afinal, para conversar com Koreanos, Japoneses e Indianos a única forma é em inglês mesmo.

Enfim, apesar da cidade ser linda, estar conhecendo muita gente legal e a experiência estar sendo ótima, a única coisa que, todos os dias tenho mais certeza é que aqui não é o meu lugar. Londres já esta no meu coração, mas meu coração não é de Londres.

Meu coração é das pessoas que eu amo, e que no momento estão longe de mim.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Lições de infância

"E aí, o tempo passou.
E, como todo mundo,
o menino maluquinho cresceu"

O menino Maluquinho - Ziraldo



Que cada um de nós guarde em si o seu Maluquinho

quarta-feira, 14 de março de 2012

Carta para meu amigo Blog

Te deixei jogado as traças e bytes
Perdido em servidores distantes
Exilado sem notícias e visitantes

Para você, meu querido de outros dias
Te digo que vai passar
Toda forma de atualização sera recompensada

Mas por favor entenda..
Por hora vivo um momento solitário
Um momento enrolado em meus ideais
Aprisionado em meu eu não virtual

Buscando novos emaranhados e caminhos a seguir
Não se preocupe, eu não esqueci de você
Estarás sempre guardado nas pastas favoritas do meu ser

E logo vou te contar toda a inspiração que guardo
Para assim poder desemaranhar este emaranhado de ideias que se forma em meu coração

ass
Rafael Ilhescas

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

As músicas mais apaixonadas 10



Limón y sal

Julieta Venegas


Tengo que confesar que a veces
no me gusta tu forma de ser
luego te me desapareces
y no entiendo muy bien por qué
No dices nada romántico
cuando llega el atardecer
te pones de un humor extraño
con cada luna llena al mes
Pero a todo lo demás
le gana lo bueno que me das
solo tenerte cerca
siento que vuelvo a empezar
Yo te quiero con limón y sal,
yo te quiero tal y como estás,
no hace falta cambiarte nada.
Yo te quiero si vienes o si vas,
si subes y si bajas y no estás
seguro de lo que sientes
Tengo que confesarte ahora
nunca creí en la felicidad
a veces algo se le parece
pero es pura casualidad
Luego me vengo a encontrar
con tus ojos me dan algo más
sólo tenerte cerca
siento que vuelvo a empezar
Yo te quiero con limón y sal,
yo te quiero tal y como estás,
no hace falta cambiarte nada.
Yo te quiero si vienes o si vas,
si subes y si bajas y no estás
seguro de lo que sientes
Sólo tenerte cerca
siento que vuelvo a empezar

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Poesia

Aos poucos a poesia deixa meu corpo
Escorre pelos meus dedos como água escorre de uma torneira

Deixo os versos fluirem como correnteza para fora do meu corpo
A correnteza é como um rio que deságua em uma bacia

Uma bacia bem grande que coloco uma tampa e guardo tudo para recriar depois

Porém existem versos afobados como sentimentos descontrolados
Estes eu deixo para a terra, deixo ir embora
Deixo que a terra cuide deles, e quem sabe os purifique

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Transparência 1


Pinto a noite na janela só para vê-la colorida.

-Desenho feito com Crayons para vidros Crayola

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

As músicas mais apaixonadas 9



Back To You

Bryan Adams

I've been down, I've been beat
I've been so tired that I could not speak
I've been so lost that I could not see
I wanted things that were out of reach
Then I found you and you helped me through
And you showed me what to do
And that's why I'm coming back to you
Like a star that guides a ship across the ocean
That's how your love can take me home and back to you
And if I wish upon that star
Someday I'll be where you are
And I know that day is coming soon,
Yeah I'm coming back to you
You've been alone but you did not show it
You've been in pain but I did not know it
You let me do what I needed to
You were there when I needed you
Mighta let you down, mighta messed you around
But you never changed your point of view
And that's why I'm coming back to you...
Like a star that guides a ship across the ocean
That's how your love can take me home and back to you
And if I wish upon that star
Someday I'll be where you are
And I know that day is coming soon,
Yeah I'm coming back to you
Mighta let you down, mighta messed you around
But you never changed your point of view
And that's why I'm coming back to you ... yeah
Like a star that guides a ship across the ocean
That's how your love can take me home and back to you
And if I wish upon that star
Someday I'll be where you are
And I know that day is coming soon,
Yeah I'm coming back to you
I'm coming back to you (3x)
That day is coming soon
I'm coming back to you

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Diário de um Clérigo Lincantropo # 2

Acordei com a charrete parando e o maldito dragão brincando com seu meio irmão e fazendo uma barulheira. É um muito esquisito ver aquele meio dragão feio pra cacete fazendo caras, bocas e vozinhas de criança para um animal que pode, facilmente, comer ele no café da manhã. Atitudes burras e noites mal dormidas me deixam de mal humor.

Andamos pela floresta. Arvores grande...arvores muito grandes. Chegamos em uma clareira com uma casa. Me pergunto quantos de minha raça existem por esta região, bem que podia encontra-los e formar um bando para guerrear contra as trevas.

Dentro da casa tinha um velho. Ele disse para levar o dragão para os ents. Quando finalmente resolvemos ir embora, apareceu um dragão azul querendo comer o filhote. Por azar ele não viu aonde estava o dragãozinho infame e foi embora. Se tivesse comido o maldito, provavelmente nos deixaria em paz.

Fomos em busca tos tais de Ents. Encontramos um gigante no meio do caminho e dois orcs fugindo. O tédio toma conta do meu corpo quando o anão começa a falar desenfreadamente com o gigante. Porque esse nanico não cala a boca, o cara é 100x maior que nós e não ta dizendo nada de útil, argh...bem que ele podia ter pisado no baixinho e acabava logo com isso.

Enfim despachamos o gigante e achamos os entes, graças a uma ameaça que eu fiz em Silvestre (língua da selva) que a floresta pegaria fogo se eles não aparecessem. Funcionou. Quando queles seres monstruosos apareceram o anão queria fugir. É um Hipócrita, todo preocupadinho com o dragão e agora que encontrou os gigantes de madeira ficou com medinho e queria abandonar o animal.

Acho que o nervosismo do grupo fez a conversa com os ents se estender absurdamente, ou eu que acordei com pé esquerdo mesmo. Enfim, noavemente o tédio toma conta do meu corpo enquanto o anão, que outrora era calado, não para de falar com a árvore e o grupo não resolve o que fazer. Me recolhi no meu dia ruim e fiquei em silencio, acho que foi a melhor escolha...

Diário de um Clérigo Lincantropo # 1

Hoje foi a última noite de lua cheia. Como todas as outras noites, acordei no meio da floresta sem roupas e com restos de animais mortos em minha volta. Só me lembro da sensação de liberdade causada pelo vento em minhas orelhas e de estar com fome. Pelo menos tive a ideia de amarrar uma muda de roupa em minha perna antes do anoitecer, assim não preciso andar completamente nu pela floresta.

Por sorte não amanheci muito longe do acampamento. Ao voltar para o grupo me deparo com um cena, digamos, bizarra. Um ser horrendo com asas de dragão, que por algum motivo se uniu ao grupo, negociando com goblins. Diga-se de passagem, este grupo é uma bagunça, constantemente me pergunto o que estou fazendo aqui.

Um arqueiro que acha rastros nas folhas, dois seres grotescos que se dizem meio dragões, um anão cinza que fala com as pedras e um dragão filhote. Não sei que diabos o maldito anão tem na cabeça de achar que vai adestrar o dragão. Por mim tinha deixado ele na caverna e ia procurar Solon, O rei dos lincântropos, Pelo menos o Anão parece gostar de mim, afinal, fomos os únicos sobreviventes do antigo grupo.

Ok. Pegamos a estrada, se entendi bem vamos até a floresta. Nossa estou acabado, vou ver se arranjo um lugar na charrete para dormir. Talvez no meio da floresta encontre pistas de Solon.

Explicação sobre "Diário de um Clérigo Lincantropo".
Para quem não sabe, eu jogo RPG com alguns amigos. Estou jogando uma aventura de D&D, aonde meu personagem é um Clérigo Lobisomem. Resolvi ir postando as indagações do personagem, como se fosse um diário escrito por este.



terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Emaranhando

Emaranhado de ideias está tão enrolado que não sai do lugar. Resolvi entrar na onda do novo ano e colocar os pingos no "is". Nos meus próprios "is", até porque as vogais dos outros não me dizem respeito.

Vou resolvendo aos poucos pequenas pendências particulares. Remexendo em contusões e ideias perdidas em meu ser. Obviamente, isso não é fácil. O que me leva a deixar de lado algumas coisas, dar mais importância a outras e retomar antigos anseios.

Enfim, vou levando a angústia da mudança e colhendo os frutos de novas escolhas.
Assim é...

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012