quarta-feira, 6 de julho de 2011

Alegria do Povo

Um dia desses resolvi acompanhar um amigo até sua casa no centro, precisava matar tempo e além disso a conversa e a companhia eram deveras agradáveis. Depois de algum tempo parado em frente a seu prédio algo acontecia nos arredores.

Logo na esquina dobrava um "camarada" dando sua corrida diária, um carro e uma moto passavam sinal vermelho e convergiam em uma direção proibida, direção esta que ia de encontro a nosso amigo corredor.
Para completar a corriqueira cena, outro atleta aparecia perseguindo o "parceiria" que, nesta altura do campeonato, se mostrava um confiante e abusado meliante.

Não demorou a aparecerem sonoros gritos convidado o povo a brincadeira, "pega! pega!" gritava o motorista e o motociclista, que pararam quase em cima da calçada na frente do suspeito. Este não teve escolha se não entrar em um estacionamento, na tentativa de fuga.

Para sua surpresa, foi recebido com um educado soco na boca e uma calorosa rasteira. Enfim a alegria estava instaurada. O malandro foi amarrado, esmurrado e chutado. Enquanto a menina, que fora subtraída, atravessava a rua sobre seu salto, o agressor se transformava em vitima e gritava por socorro. Engraçado como no Brasil tem gente que passa de bandido a coitadinho em tão curto período de tempo.

Enquanto esperávamos o desfecho da história, observávamos com atenção o público que passava e se reunia em torno do acontecido.  Todos estalavam os beiços em sorrisos de prazer e euforia. Assim como eu, outros tinham em seus olhos um brilho de satisfação, de dever sendo cumprido. Não sejamos hipócritas, quem nunca quis dar um sopapo na boca de um assaltantezinho de meia tigela? Eu já!


Enfim a polícia chegou e todos foram para suas casas, carregando a dor de que nada mais aconteceria ao ladrão e a satisfação de ver, o que realmente, suas almas desejam de uma sociedade que é regida por quem prega a impunidade. Pena ter sido em tão pequena escala.

PS. História verdadeira ocorrida dia 6 de Julho 2011.

Nenhum comentário: